PortugueseEnglishSpanish
PortugueseEnglishSpanish

Conselho do Ceará Credi aprova linha de crédito para cooperativas da agricultura familiar e economia solidária

28 de fevereiro de 2022 - 16:52 # # # #

O Conselho Diretor do Fundo de Investimento em Microcrédito Produtivo (FIMP) aprovou, na última quinta-feira (24), a proposta de nova linha de crédito voltada para cooperativas da agricultura familiar e economia solidária no âmbito do Programa Ceará Credi. A iniciativa visa beneficiar pequenos produtores organizados em cooperativas que necessitam de crédito para alavancar suas agroindústrias ou que participam do Programa de Compras Governamentais.

“Essa é uma proposta alinhada com os objetivos almejados pelos empreendimentos da economia solidária e popular. Ela chega para preencher uma lacuna que ainda não era contemplada pelo Ceará Credi e dar mais robustez ao Programa. Desde o ano passado, estamos trabalhando para a ampliação das nossas linhas de crédito e já começamos a alcançar os primeiros resultados com a reformulação do FDI (Fundo de Desenvolvimento Industrial), que passou a destinar 2% dos encargos arrecadados pelo Estado para o FIMP. Paralelo a isso, estamos buscando outras fontes de funding com a expectativa de atender mais microempreendedores”, explica o vice-presidente do Conselho e presidente da Adece, Francisco Rabelo.

Inicialmente, a proposta visa atender as cooperativas que já estão em funcionamento e foram apoiadas pelo Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável do Estado – São José III nos segmentos de amêndoas de caju, apicultura/mel, mandioca, ovinos e caprinos, e polpa de frutas. “Estas são cooperativas que já estão estruturadas, que já tiveram investimentos e capacitação dos cooperados, mas que estão com dificuldades de rodar por falta de capital de giro. Além delas, a nova linha também se volta para cooperativas menores que fornecem para programas de compra governamental e que, por conta da pandemia, estão precisando de apoio financeiro para retornarem ao mercado institucional”, explica a diretora de Economia Popular e Solidária da Adece, Silvana Parente.

Os limites de financiamento para as agroindústrias cooperadas depende do porte da cooperativa e dos seguintes itens: número de cooperados, capital integralizado, patrimônio líquido, faturamento anual e abrangência efetiva – não podendo ultrapassar a R$ 1,5 milhão. Já para as cooperativas de menor porte, o limite de financiamento depende da produção disponibilizada no Sistema Estadual de Cadastro da Agricultura Familiar (SECAF) e no Cadastro de Fornecedores do Estado do Ceará.

A nova linha terá taxa de juros será de 0,5% ao mês e mais 2% de taxa de abertura de crédito. A expectativa é que a produção agrícola familiar do Estado aumente o seu valor agregado, melhore sua comercialização e beneficiamento e, com isso, gere mais emprego e renda no interior do Estado.

Após a aprovação pelo Conselho do FIMP, a Adece agora inicia a elaboração da política de acesso e análise da nova linha de crédito com a estruturação de todo o processo em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), órgão parceiro na estruturação da demanda para a nova linha.

O programa Ceará Credi

O Ceará Credi é o programa de microcrédito produtivo do Governo do Ceará lançado em maio de 2021 e operacionalizado pela Adece. A iniciativa tem o objetivo de ampliar oportunidades de trabalho e renda para empreendedores e trabalhadores autônomos, formais e informais e agricultores familiares, por meio da disponibilização de microcrédito produtivo orientado, capacitação empreendedora e educação financeiras em comunidades urbanas e rurais do Ceará.

Um total de 112 agentes de crédito distribuídos em 56 postos já atuam no Programa. Até o final de fevereiro deste ano, o Programa já havia atendido mais de 28 mil pequenos negócios no Estado, dos quais cerca de 18 mil foram financiados com recursos totais de R$ 48 milhões.