Energia

 
O estado do Ceará busca ser autossuficiente em energia, tendo em vista que a garantia energética é fundamental para o sucesso de qualquer empreendimento.
 
A consolidação da matriz energética do Ceará é fruto de ações do Governo do Estado na concessão de incentivos aos investidores e na realização de investimentos em infraestrutura aos empreendimentos da cadeia produtiva de energia.
 
Por meio da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará S.A. (Adece), o Estado está estabelecendo uma ambiência favorável para o segmento energético, no atendimento de novos investidores para o setor, na criação de parcerias com instituições internacionais para treinamento de mão de obra e na contribuição para estabelecimento de marco regulatório do setor elétrico brasileiro para energias renováveis.
 
Destaca-se, como resultado de ações proeminentes do Governo do Estado do Ceará, que, nos próximos anos, a capacidade instalada de geração deverá triplicar a potência de energia do Estado, ultrapassando a faixa de 3 gigawatts (GW).
 
Atualmente, o Estado do Ceará possui empreendimentos de geração de energia de fontes eólica, solar, termelétrica e hidrelétrica.
 
No que tange à hidrelétrica, o Ceará possui uma pequena central hidrelétrica (PCH), denominada Araras, com potência instalada de 4 MW e situada no rio Acaraú, no município de Varjota.
 
A energia eólica cearense é nacionalmente conhecida pelo seu alto potencial, dimensionado em 35 mil megawatts (MW), sendo 25 mil MW em terra (on shore) e 10 mil MW no mar (off shore), segundo o Atlas Eólico do Estado.
 
Seguem dados da geração eólica cearense para os próximos três.
 
Além das usinas de energia eólica e hidrelétrica, o Ceará possui a primeira usina comercial de energia solar do Brasil, na cidade de Tauá. O projeto prevê uma capacidade total de geração de 50 MW. Na primeira etapa, foi construído 1 MW, já conectado ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Para 2012, prevê a conclusão da ampliação do parque para 2 MW, em uma parceria entre as empresas MPX Energia S.A. e General Electric Company.
 
O Ceará tem também inúmeros empreendimentos térmicos, com destaque para a Termoceará (Petrobras) e a Terméletrica Fortaleza, ambas movidas a gás natural. Juntas, possuem mais de 560 MW de potência instalada. Complementarmente, estão sendo implantadas duas termelétricas movidas a carvão mineral importado de baixo teor de enxofre, cujas capacidades serão de 720 MW (Energia Pecém) e 365 MW (MPX Pecém II).
 
Além disso, o Estado do Ceará está concluindo a instalação de uma usina de geração de energia elétrica a partir da energia das ondas do mar, situada no Terminal Múltiplo Uso do Porto do Pecém. Tem capacidade de geração de 50 kW por meio de parceria com Eletrobrás, Finep e Coppe/UFRJ.
 
Outros projetos de fontes renováveis estão sendo concebidos no Estado do Ceará, como a produção de energia a base de biomassa (biodigestão de cama de frango, capim e bagaço de caju), decorrente de joint venture entre empresas eslovena e cearense. Estão previstas duas unidades, uma no município de Pacajus e outra no município de Jaguaribe, que terão capacidade de geração de aproximadamente 5 MW cada.